Ano Novo?

Um breve resumo do porquê eu NÃO comemoro a passagem do ano.

Porque tanta valorização a uma “passagem de ano”?

ADEUS ANO VELHO! FELIZ ANO NOVO! (eita frase cansativa)

Enquanto escrevo este post, já se passaram vários MILISEGUNDOS! Acabou de passar um SEGUNDO. Logo logo irá terminar um minuto. Daqui a uma HORA passará uma HORA. Olha pessoal, tenho uma novidade: ao final do próximo MÊS terá passado um MÊS, acreditam? 🙂

Brincadeiras à parte, porque um ANO é normalmente aceito como mais importante do que um MÊS ou qualquer unidade de TEMPO?

Na Palavra de Deus, fonte de toda a sabedoria, encontramos que Deus ordenou ao Seu povo terreno, Israel, a que comemorasse anualmente a saída do Egito (páscoa). Também encontramos nas Escrituras que Jesus Cristo, Deus encarnado, ordenou ao Seu povo neste tempo, a Igreja, a que semanalmente lembrasse dEle no memorial chamado de “partir do pão”. O Senhor Jesus também disse aos Seus que não devem se preocupar com o DIA de amanhã, pois “basta a cada dia o seu mal”.

Bom, o que importa para mim é o que está escrito em Efésios 5:16

… remindo O TEMPO, porquanto os DIAS são maus.

Sim, o TEMPO! Aquele que não está preso ao TEMPO, Aquele que tem o AMANHÃ como ONTEM, deseja profundamente que você se preocupe com a eternidade da sua alma.

O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi; e Deus pede conta do que passou. (Ecl.3:15)

Para você é ADEUS ANO VELHO, mas para Deus todo o seu passado está escrito diante dEle. Para você é FELIZ ANO NOVO, mas para Deus você foi, é e continuará sendo infeliz se não confiar em Jesus Cristo como Seu Único e Suficiente Salvador.

O que você realmente espera daqui há UM MINUTO? Em vez de ficar planejando e festejando o ANO seguinte, porque você não se antecipa e planeja o seu AMANHÃ? Porque não dizer, planeje a próxima HORA? Quem pode lhe garantir que no próximo SEGUNDO você estará neste mundo preparando ou festejando essa “passagem do ano” ou “festa mundial de confraternização”?

Se HOJE ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração (Hb.3:15).

O dia para você se salvar é HOJE! Se na última DÉCADA você sequer se interessou em ouvir sobre o plano de Deus para a salvação da humanidade, pare nesse SEGUNDO e considere o grande amor de Deus por tua alma!

Quem crê nEle não é condenado, mas quem não crê, já está condenado, porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus (Jo.3:18)

Não ignore a passagem deste SEGUNDO sem considerar o grande amor de Deus por você. Se, todavia, você já desfruta de gozo e paz com Deus, por Jesus Cristo, procure dormir no mesmo horário de sempre no dia 31 (“deixe o ímpio o seu caminho”). Faça HOJE o que deve ser feito e confie a Deus o seu AMANHÃ, o qual não te pertence.

Natal?

Porque eu NÃO comemoro o Natal

Havia decidido por mim mesmo não querer mais explicar, a quem me pergunta, porque eu fico em casa no dia 24 como fiquei no dia 23 ou em qualquer dia do ano. É um tanto desgastante falar sobre isso, inclusive com aqueles que confiam no mesmo Senhor e Salvador. Em se tratando dos familiares e colegas de trabalho, tenho sido muito econômico em meus comentários.

Tudo que é diferente ao que o mundo faz ou pensa causa espanto. O “diferente” assusta. Uma bomba de apelidos e títulos degradativos explode contra o “diferente”. Para alguns, estou querendo colocar uma melancia no pescoço, mas de fato meu Deus sabe que não há qualquer orgulho de minha parte por TODO O FINAL DE ANO eu ter que ficar nadando contra a correnteza. É cansativo sim, mas estou em paz diante de Deus e do meu Senhor Jesus.

Quando eu era criança, recordo-me do quanto esperava por esta “véspera de natal”. Especialmente quando meus pais, mediante grande esforço, amor e carinho, davam-me aquele presente que esperei o ano todo. Todos trocavam presentes, saboreavam uma boa refeição, abraçavam-se, etc. Chegava então o momento em que a família agradecia a Deus pelo “nascimento (natal) de Jesus”, normalmente com uma reza. Assim éramos ensinados que o natal não é um evento comercial (mesmo tendo havido muito gasto por uma “boa” motivação), mas um momento em que deveríamos comemorar o “natal de Jesus”.

O mundo, nos dias que antecedem à noite do dia 24/12, divide-se ou se mistura nestas três motivações: comercial, familiar e religiosa. Sem criticar ou acusar a sinceridade de qualquer, no meu entender tudo isso é questionável! Os que celebram por motivações religiosas, normalmente correm às lojas para gastarem suas gratificações natalinas, alimentando o comércio. As motivações familiares são, no meu entender, as mais inofensivas, pois em si mesmo não há qualquer mal em que a família esteja reunida (muito pelo contrário), neste ou em qualquer dia!  Uma família unida é unida todos os dias, e não em apenas um dia por ano. Já os que celebram por motivações comerciais, especialmente os comerciantes, é um ótimo momento para triplicarem os lucros às custas desta euforia que impera no mundo. E o “mascote vermelho, velho, gordo e barbudo” é mais desejado pelas crianças do que seus próprios pais! Essa figura não merece qualquer comentário a mais.

A esperança do mundo se resume em “paz, muito dinheiro no bolso, saúde para dar e vender”.

Que paz?

Não há paz para os ímpios, diz o meu Deus (Is. 57:21).

Não conheceram o caminho da paz (Rm. 3:17).

Muito dinheiro no bolso?

Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? (Mateus 16:12)

OK, pode ser que encontremos alguém ou alguma família que, com integridade, foge do comércio feroz e se satisfazem em presentearem seus entes com presentes e refeições simples, para que toda a atenção seja canalizada para o “nascimento de Jesus”. As motivações familiares também são muito intensas, a ponto de aqueles que optam por não participarem são taxados de anti-sociais ou acusados de quebrarem os laços familiares (mesmo sendo presente todo o ano). Isso também é questionável!

Sem arrazoar mais, limito-me apenas a dizer porque eu não comemoro o Natal, de nenhuma forma. Está escrito:

Todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a MORTE do Senhor, até que venha (I Cor. 11:26).

Fazei ISSO em memória de mim (Lc. 22:19).

Não é de se admirar que, enquanto Jesus ordena aos Seus lembrarem da Sua MORTE, o mundo inteiro insiste em fazer diferente do que Ele ordenou, mesmo que isso seja celebrar o Seu NASCIMENTO! Ah tá, o mundo religioso celebra a MORTE em outra festa, chamada “páscoa”. Todavia ignoram ou não aceitam o fato que a “páscoa” era uma festa judia, em comemoração da saída do povo de Israel do Egito, pela mão de Moisés e poder de Deus. Bom, não quero falar dessa “páscoa” que o mundo entende e pratica.

O povo de Deus deve celebrar o nascimento, a vida, a morte, a ressurreição e a glória dAquele que veio ao mundo e morreu pelos meus pecados, e assim deve fazer CONFORME Ele mesmo determinou, e não nos moldes do mundo. Eu teria outros argumentos históricos para fugir desse “natal” entendido e praticado pelo mundo religioso (http://pt.wikipedia.org/wiki/Natal) mas minha real FALTA de motivação em participar desta festa pagã (não se ofendam comigo, é o que eu creio) é tão-somente bíblica.

Você sinceramente quer lembrar do nascimento de Jesus hoje à noite? Porque então não para um pouco e considere PORQUE Ele veio ao mundo, morreu e ressuscitou? Desafio você a isso e oro a Deus para que você compreenda o Seu plano de salvação. A beleza e as luzes destas festas de finais de ano perderão o seu brilho quando você conhecer verdadeiramente a Jesus, a verdadeira Luz do mundo.

Galeria de fotos

Uma pequena demonstração da minha futura página de álbuns, usando o plugin FLAGallery.

Abaixo uma demonstração da minha página de álbuns, que pretendo criar. Só gostaria de saber como criar permissão de visualização para esta página. Alguém sabe?

[flagallery gid=1 name=”Gallery” stylishgrey]

Gostou deste slideshow? Trata-se de um plugin do WordPress chamado FLAGallery (Flash Album Gallery). Existem ainda skinks gratuitos disponíveis, os quais podem ser encontrados em http://photogallerycreator.com

Exemplo Perfeito

Uma breve postagem, bíblica, sobre o Perfeito Exemplo…

Lendo o livro Dicas para os pais, de Gardiner Spring & Tedd Tripp (Editora Fiel), página 30, deparei-me com a seguinte frase:

As regras constrangem; o exemplo é encantador. As regras compelem; o exemplo convence. As regras são uma lei morta; o exemplo é uma lei viva.

Mesmo que esta frase tenha sido usada no contexto de criação de filhos (um dos assuntos do livro), ela está de pleno acordo com as Sagradas Escrituras, a Bíblia. O exemplo sempre “chega na frente” das palavras.

Jesus Cristo é o tema central de toda a Bíblia. NEle encontramos o Homem perfeito. Sendo Deus, Ele não conheceu pecado (II Co.5:21). Nunca se achou engano em Sua boca (I Pe.2:22). Perfeitamente Deus e perfeitamente Homem. Por isso seu exemplo também é perfeito!

Ele é o Único que pôde dizer:

Quem dentre vós me convence de pecado? (Jo.8:46)

Se você puder responder à Sua pergunta acima, motivado pela força do Seu perfeito exemplo, compreendendo principalmente o motivo pelo Qual Ele morreu na cruz (mas eis que vive!), você compreenderá os demais versículos citados a seguir.

Ele também é o Único que tem autoridade para dizer, àqueles que confiam nEle como Salvador:

Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. (Jo.13:15)

Um dos Seus conhecidos seguidores, Pedro, aprendeu a lição e, segundo a inspiração do Espírito Santo, escreveu:

Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas. (I Pd.2:21)